CENTRO SOCIAL DAS TAIPAS

Instituição Particular de Solidariedade Social

O Centro Social das Taipas é uma Instituição Particular de Solidariedade Social com mais de 40 anos de existência. Para a realização dos seus objetivos, propusemo-nos criar e manter em funcionamento várias respostas sociais que diariamente acolhem cerca de 140 crianças, distribuídas pelas valências de Creche, Pré-escolar e ATL. Nas valências de Centro de Dia contamos com 25 utentes, tal como acontece no Serviço de Apoio ao Domicílio. Por sua vez, a Estrutura Residencial para Idosos tem capacidade para 57 utentes, totalizando, assim, uma capacidade de 107 utentes nas valências associadas à 3ª idade. Tem, ainda, os Gabinetes de Acompanhamento Social e Reinserção Social que acompanha 100 famílias, e o Gabinete de Inserção Profissional. Composta por um grupo de 80 colaboradores, esta instituição tem como missão garantir, acompanhar e prestar um serviço cada vez mais qualificado e certificado nas valências que desenvolve, tendo sempre em vista a satisfação das necessidades do utente e famíia.

Graças à qualidade pela qual procuramos pautar a nossa intervenção, paradoxalmente à diminuição da taxa de natalidade em Portugal, temos vindo a assistir a uma crescente procura das valências da Infância, tal como acontece com a 3ª idade na qual a procura é muito superior à oferta. Porém, a grave situação económica que o país atravessa (baixa real dos salários, aumento da carga fiscal e aumento do custo de vida em geral), bem como a região do Vale do Ave onde se situa a nossa Instituição (caracterizada pelo desemprego galopante e conexa falta ou redução do poder de compra), reflete-se, de forma notória, na nossa lista de candidatos, caracterizada por clientes com situações socioeconómicas desfavoráveis, repercutindo-se, invariavelmente, em mensalidades reduzidas.

Tendo em consideração a nossa missão, é inevitável debruçarmo-nos nestas situações de emergência social às quais queremos dar resposta. No entanto, se por um lado temos uma diminuição das comparticipações familiares, por outro temos um quadro de recursos humanos e outras despesas mensais fixas associadas, cujos valores se mantém ou se agravam, acarretando um inevitável desequilíbrio financeiro da Instituição, deixando-a sem rentabilidade económica numa fase em que acarretamos despesas fixas associadas ao investimento feito, recentemente, numa Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, e estando premente a necessidade de renovar o equipamento das salas de infância e substituir a nossa frota que está a atingir o limite máximo de certificação e que não dá resposta efetiva à nossa população alvo.

COLOQUE AQUI A SUA QUESTÃO